7 dicas para aprimorar BPFs e evitar a contaminação cruzada

BPF e contaminação cruzada

Na indústria alimentícia, a contaminação cruzada é uma das principais causas de doenças transmitidas pelos alimentos. Para evitar esse tipo de problema, existem as Boas Práticas de Fabricação (BPF).

O cumprimento das BPF é uma exigência da legislação e visa:

  • Garantir a qualidade das operações internas;
  • Oferecer alimentos seguros para o consumidor, com qualidade sanitária;
  • Assegurar a conformidade dos alimentos com os regulamentos técnicos. 

Diante disso, as dicas para aprimorar as práticas de BPF vão desde a higiene básica, como lavar as mãos, até a preocupação com a geração e destinação de lixo dentro das plantas produtivas. 

Se você atua na cadeia produtiva de alimentos e quer aprimorar suas BPF, acompanhe nossas dicas e saiba como melhorar a segurança dos alimentos fabricados, evitando casos de contaminação cruzada.

O que é contaminação cruzada?

A contaminação cruzada ocorre quando há a transferência de contaminantes de um ser (alimento ou objeto) para outro alimento.

Quando a contaminação cruzada se dá diretamente de um alimento para outro, é considerada direta. Já a contaminação indireta está associada com a transferência de contaminantes, a partir dos utensílios empregados na manipulação do alimento.

Ela pode ocorrer a qualquer momento durante o processo de produção, preparação ou armazenamento de alimentos, tornando-se uma fonte de doenças transmitidas por alimentos, como a salmonelose e a E. coli.

Além disso, as principais consequências estão relacionadas às doenças transmitidas por alimentos (DTA) e a perda de confiança do consumidor nos produtos e na própria empresa.

Por isso, as Boas Práticas de Fabricação (BPF) abrangem um conjunto de medidas que devem ser adotadas pelas indústrias de alimentos, a fim de garantir a qualidade sanitária e a conformidade com os regulamentos.

Dicas para aprimorar a BPF na indústria

BPF na indústria

Existem várias medidas e boas práticas para evitar a ocorrência de contaminação cruzada. Veja, a seguir, algumas dessas dicas para aprimorar as BPF na indústria:

1. Higienização das mãos eficiente e contínua

Premissa básica de BPF, a limpeza das mãos é uma medida imprescindível. Portanto, deve ser feita de forma rigorosa para reduzir ao máximo a quantidade de microrganismos. 

Assim, todos os operadores devem saber exatamente como fazer a higienização das mãos e usar de produtos confiáveis. 

2. Utilize código de cores

Para evitar a contaminação cruzada, é recomendável codificar os utensílios de manipulação (facas, tábuas, e demais itens) e mantê-los em áreas que facilitem o uso deles. 

Além disso, eles não devem ser pintados ou etiquetados. Ao invés disso, o ideal é fabricar na cor desejada, evitando a dispersão de partes.

Uma dica interessante é seguir o código de cores para tábuas de corte para alimentos, criado pelo Ministério das Indústrias Primárias da Nova Zelândia.

Segundo o código de cores as tábuas são classificadas em:

  • Azul: Pescados e frutos do mar crus.
  • Amarelo: Aves, como frangos, perus e patos crus.
  • Vermelho: Carnes vermelhas.
  • Brancas: Pães e laticínios.
  • Marrom: Carnes e alimentos cozidos.

3. Na dúvida, use a cor azul

Essa é uma dica muito importante e relevante! Com a variedade de cores, é normal ficar confuso ao decidir qual cor é a mais adequada para o contato com os alimentos. 

Como poucos alimentos são fabricados na cor azul, ela se torna uma cor ideal para usar durante a manipulação. 

Assim, caso alguma parte acidentalmente se junte ao produto, a cor azul fica em evidência, facilitando a localização da fração com desvio de qualidade e evitando a contaminação cruzada.

4. Use utensílios detectáveis em Raio-X e detectores de metais

Os casos mais comuns de contaminação cruzada são os corpos estranhos presentes em alimentos. Neste caso, a tecnologia é uma grande aliada da indústria de alimentos.

Os equipamentos de Raio-X e detectores de metais, por exemplo, podem oferecer maior segurança para a integridade dos produtos. 

O uso destes equipamentos é uma forma eficaz, confiável e certeira de identificar contaminantes físicos durante a produção. Não é à toa que o uso deles tem crescido entre as indústrias da área. 

Outra possibilidade é fazer uso de utensílios detectáveis, como as cerdas de escovas e de vassouras, que reduzem grande parte deste tipo de risco. 

Neste caso, a Brasmo pode ajudar a indústria! Para conhecer a linha de produtos detectáveis da Brasmo, clique aqui.

Conheça a linha de detectáveis para indústria alimentícia da Brasmo! Clique e acesse.

5. Garanta que todos os utensílios estejam separados e guardados adequadamente

O programa 5S, para fazer a segregação dos utensílios por cores, é mais uma excelente dica. 

Através da utilização de organizadores coloridos, fica mais fácil verificar como deve ser feito o armazenamento dos materiais, evitando que sejam misturados.  

6. Reduza o lixo

Os resíduos provenientes dos utensílios de higienização inutilizados na indústria podem ser reduzidos quando há o uso de materiais duráveis. Entre eles, estão vassouras, rodos, baldes e espátulas.

Por isso, a dica é sempre procurar fornecedores com utensílios que reduzam a quantidade de lixo e, assim, os custos.

7. Higienize os utensílios

Os utensílios de higiene também podem ser contaminantes. Para evitar isso, é necessário promover a limpeza e secagem de todos os materiais. 

Com essa medida, a proliferação de bactérias em utensílios secos e limpos é praticamente nula. 

Além disso, para evitar a contaminação cruzada, é recomendável codificar os utensílios de manipulação (facas, tábuas, e demais itens) e mantê-los em áreas que facilitem o uso deles. 

Entretanto, eles não devem ser pintados ou etiquetados. Ao invés disso, o ideal é fabricar na cor desejada, evitando a dispersão de partes.

Vale destacar que a Brasmo é também referência em limpeza industrial. 

Parceira exclusiva de uma das principais marcas mundiais do segmento, a FBK, da Dinamarca, a Brasmo oferece um portfólio completo de soluções de limpeza para o mercado industrial.

Os produtos possuem separação por cores, garantindo uma limpeza mais efetiva e organizada da indústria.

Clique e acesse o catálogo de higiene industrial!

Dicas bônus

Com sede em Chapecó/SC e mais de 25 anos de história, a Brasmo atua na industrialização e importação de equipamentos para proteção e higiene industrial, com o melhor custo-benefício do mercado. 

Nossos parceiros e clientes contam com um atendimento especializado e produtos certificados que atendem aos principais requisitos de segurança alimentar do mundo, como:

  • HACCP (APPCC);
  • BRC;
  • IFS;
  • FSSC 22000;
  • Outros padrões reconhecidos pela Global Food Safety Initiative (GFSI).

A Brasmo é a parceira ideal da indústria e oferece produtos e soluções com alto padrão que atendem os requisitos das BPF e evitam a contaminação cruzada.

Evolua a qualidade da higienização na sua empresa. Converse com nossos especialistas e conheça nossas soluções que podem ajudar o seu negócio.

Entre em contato e solicite um orçamento dos produtos Brasmo!

Compartilhar
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Assine a Newsletter

Ao informar seus dados, você aceita receber comunicações.

7 dicas para aprimorar BPFs e evitar a contaminação cruzada

Na indústria alimentícia, a contaminação cruzada é uma das principais causas de doenças transmitidas pelos alimentos. Para evitar esse tipo de problema, existem as Boas

ESD: conheça as normas e certificações para descargas eletrostáticas

A descarga eletrostática (ESD) é uma ocorrência em que uma carga elétrica se acumula em uma superfície e é descarregada em outro material. Portanto, ela

Higiene industrial na área de produção: quais cuidados são necessários?

Cuidar da saúde e do bem-estar dos colaboradores de uma indústria é uma tarefa fundamental para o bom desempenho do negócio. Para isso, é necessário

Categorias

Ficou interessado ou está com alguma dúvida?