Troca de EPI: saiba o momento ideal para substituir o equipamento

Troca de EPI

Óculos de proteção, luvas, máscaras e capacetes são equipamentos de proteção obrigatórios, e podem fazer toda a diferença na vida de um funcionário. No entanto, eles têm vida útil, exigindo a troca de EPI.

Por isso, saber o momento certo para realizar a troca dos equipamentos é uma medida de segurança fundamental. Afinal, eles só são eficientes se estão em boas condições de uso!

Diante disso, a troca deve fazer parte do planejamento anual da gestão destes equipamentos. Mas como saber a hora certa de promover a troca de EPI? Confira nosso artigo e veja o que dizem as regras!

EPIs são fundamentais, e têm vida útil!

EPIs têm vida útil

Obrigatórios em muitos trabalhos, como câmaras frias e limpeza em altura, os EPIs (Equipamentos de Segurança Individuais) têm a função de proteger a saúde e segurança dos profissionais durante seus exercícios em determinadas atividades. 

Mas tão importante quanto oferecer todos os EPIs para seus funcionários, é importante estar atento à periodicidade da troca destes equipamentos.

Para isso, conheça os diversos fatores que contribuem para a periodicidade da troca de EPI. Entre esses fatores se destacam:

  • Tipo de EPI;
  • Tempo de frequência de uso;
  • Validade estipulada pelo fabricante.

Portanto, o empregador deve ter ciência que ter equipamentos atualizados e em bom estado de conservação garante a proteção dos funcionários, evitando acidentes e prejuízos financeiros, como multas e demais sanções.

Por que trocar EPIs no momento certo?

A fabricação dos EPIs segue as normas regulamentadoras e rigorosos padrões técnicos, visando total proteção dos trabalhadores. Entretanto, com o tempo e o uso, eles atingem o prazo de validade estipulado pelo fabricante e devem ser substituídos.

Quando a troca de EPI ocorre no momento certo, a empresa e seus colaboradores se beneficiarão de diversas formas, tais como:

Maior proteção

EPIs se desgastam com o tempo de uso, exigindo a troca periódica para elevar a segurança e a prevenção contra os riscos identificados. 

Assim, mesmo que o EPI esteja em boas condições, a troca é sempre necessária com base no prazo de validade.

Troca de EPI: menos riscos de acidentes

Quando gasto e danificado, o EPI perde a resistência contra os riscos. Realizar a troca adequada garante boas condições de uso e eleva a proteção contra acidentes.

Conformidade com a lei

O empregador tem a responsabilidade de fornecer o EPI e garantir que os funcionários o utilizem corretamente no exercício da função. 

Além disso, ele tem também a responsabilidade de promover a substituição no tempo certo. Uma boa gestão assegura a conformidade legal do empregador.

Diante destes aspectos, fica evidente que a troca de EPI, quando realizada de forma periódica, é crucial para as organizações e para o trabalhador. Afinal, contribui para a excelência na segurança do trabalho e preserva a saúde de toda a equipe.

A periodicidade para a troca de EPI depende de alguns fatores

Apesar de ser um tema muito relevante, muitos trabalhadores têm dúvidas sobre o momento ideal para realizar a troca do EPI. 

Dessa forma, eles continuam utilizando os itens mesmo vencidos, normalmente sem compreenderem que a exposição aos riscos é elevada.

Por outro lado, é comum que os trabalhadores solicitem a troca sem que o equipamento esteja vencido ou danificado. 

Portanto, é dever do técnico de segurança e do empregador saber avaliar o equipamento para substituí-lo no momento correto. Para isso, considerar os seguintes fatores é fundamental:

  • Prazo de validade estabelecido pelo fabricante;
  • Presença de alguma avaria na estrutura do EPI;
  • Tempo de uso;
  • Atividade executada pelo funcionário e tipo de EPI utilizado nela;
  • Possíveis sujeiras e defeitos que interfiram na eficiência.

Portanto, não existe uma periodicidade exata para a troca de EPI, mas o prazo de validade do material e o estado do equipamento são essenciais para definir este momento. 

Com base nestes pontos, é fundamental estar atento à manutenção e conservação do EPI para não haver nenhum risco de acidentes. Também é recomendado adquirir equipamentos de qualidade, que garantem que a troca do EPI ocorrerá apenas no seu prazo de validade.

Neste caso, a Brasmo é a parceira ideal para sua empresa! Somos especialistas em apresentar as melhores soluções no universo da proteção individual de trabalhadores, auxiliando as empresas a atingir um padrão internacional de qualidade e segurança.

Com a Brasmo, a possibilidade de realizar a troca de EPI apenas ao fim da sua validade é maior, mantendo a proteção do funcionário de forma contínua.

Fale com nossos especialistas e saiba mais sobre as soluções da Brasmo que vão ajudar seu negócio.

Equipamentos de proteção individual (EPIs) Brasmo - faça um orçamento!

Compartilhar
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Assine a Newsletter

Ao informar seus dados, você aceita receber comunicações.

7 dicas para aprimorar BPFs e evitar a contaminação cruzada

Na indústria alimentícia, a contaminação cruzada é uma das principais causas de doenças transmitidas pelos alimentos. Para evitar esse tipo de problema, existem as Boas

ESD: conheça as normas e certificações para descargas eletrostáticas

A descarga eletrostática (ESD) é uma ocorrência em que uma carga elétrica se acumula em uma superfície e é descarregada em outro material. Portanto, ela

Higiene industrial na área de produção: quais cuidados são necessários?

Cuidar da saúde e do bem-estar dos colaboradores de uma indústria é uma tarefa fundamental para o bom desempenho do negócio. Para isso, é necessário

Categorias

Ficou interessado ou está com alguma dúvida?