Como a NR-36 fortalece a segurança em empresas de abate

Como a NR-36 fortalece a segurança em empresas de abate

nr-36-seguranca-industria

A Norma Regulamentadora 36 (NR-36) tem por objetivo estabelecer aos empregados e empregadores das indústrias os requisitos básicos para o controle e monitoramento de riscos, fortalecendo a segurança em todos os processos. Essa norma foca nas atividades efetuadas na indústria de abate e no processamento de carnes. Portanto, ela é voltada somente a uma área em específico, e não poderia ser diferente, pois seus produtos estão diretamente ligados ao consumo do ser humano.

Dessa forma, a NR-36 visa garantir permanentemente a segurança, a saúde e a qualidade de vida no trabalho. E para garantir uma segurança ampla à saúde e à qualidade de vida neste ambiente de trabalho em específico, a NR-36 deve ser aplicada junto a outras NRs, especialmente a NR-17 (Ergonomia).

 

O manuseio dos produtos conforme a NR-36

Para diminuir o esforço realizado pelo empregado, o empregador deve utilizar métodos técnicos de organização e planejamento. Isso facilitará a efetividade no local de trabalho. Por exemplo, peças muito pesadas, que possuem um volume excessivo, não podem ser manuseadas, pois comprometem a saúde e também a segurança do empregado.

Sendo assim, a armazenagem e a locomoção não podem comprometer também. Qualquer esforço físico praticado pelo empregado deve estar de acordo com sua capacidade física e segurança, facilitando todo o processo e levando mais efetividade a toda a empresa.

 

NR-36 sobre descarga e recepção de animais

Como se trata do produto da empresa, a carga e a descarga dos animais devem estar planejadas e organizadas com certo rigor. Para maior efetividade nessa área, é de recomendação da NR-36 que estejam presentes nesses momentos apenas os empregados que possuírem um treinamento adequado e com as informações necessárias sobre o trabalho, visando a segurança do trabalhador e o manejo adequado dos animais.

 

Maquinário, ferramentas e equipamentos: o que diz a norma

Quando falamos acima que a NR-36 deve sempre estar complementada por outras normas regulamentadoras, era justamente por causa de processos como esses. Tratando-se de equipamentos usados nas empresas de abates, eles devem obedecer aos itens dispostos na NR-12 (Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos) e na NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade).

Por exemplo, o número de trabalhadores deve estar de acordo com a quantidade de equipamentos dispostos na empresa. E na hora de disponibilizar os equipamentos para os empregados, é preciso ter em mente que apenas aqueles que possuem a ciência completa das ferramentas podem utilizá-las.

Não corra o risco de colocar uma máquina aos cuidados de quem não possui a experiência exigida pela NR-12 e pela NR-10. Além de trazer maior efetividade na hora da execução dos movimentos precisos, evitará que ocorram acidentes dentro da sua empresa e, assim, protegerá a equipe que está à frente das atividades.

 

Controle no ambiente de trabalho

Uma empresa de abate constitui alguns riscos aos funcionários. Não tem como ser diferente. Mas o empregador deve, por obrigação, atender às normas regulamentadoras para antecipar e impedir que processos negativos ocorram.

Vale lembrar que os riscos presentes no local de trabalho sempre devem estar contemplados no PPRA (Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais) e no PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). Todos os empregadores devem ter acesso às recomendações feitas pelos programas organizacionais da empresa. Os programas devem ser esclarecedores e trazer maior objetividade na assimilação do tema.

Os trabalhadores que exercem suas funções lidando com resíduos, vísceras e excrementos precisam ter a noção completa dos métodos técnicos adotados pela sua empresa. Também precisam reduzir ao máximo possível o contato direto com esses resíduos. Para uma melhor assimilação por parte de todos os funcionários, os métodos devem ser implementados da seguinte forma:

  1. Redução dos riscos ao máximo possível.
  2. Adotar medidas coletivas para eliminar por completo os fatores de risco.
  3. Oferecer um treinamento adequado aos trabalhadores, de acordo com a NR-36.
  4. Tornar obrigatória a utilização dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).
  5. Por fim, informar a todos sobre os riscos, as causas e os efeitos, de acordo com os métodos adotados para a proteção dos trabalhadores.

Os empregados devem estar cientes e atualizados sobre:

  1. A metodologia implementada pela empresa de abate e os seus devidos procedimentos.
  2. A melhor utilização dos seus EPIs e ferramentas de trabalho.
  3. Sobre a ergonometria – melhor forma da utilização dos equipamentos para evitar riscos à saúde.
  4. Demais treinamentos específicos com relação a NR-36.

Atualmente, a Brasmo fornece EPIs que auxiliam no atendimento aos requisitos da NR-36, como as meias térmicas, por exemplo. Segundo a norma, “36.10.1.2 Nas atividades com exposição ao frio devem ser fornecidas meias limpas e higienizadas diariamente.”

Em tarefas que exigem contato com a água, há também uma linha completa de EPIs descartáveis e/ou reutilizáveis, protegendo o colaborador da exposição. Além disso, em situações de higienização, a ergonomia de todos os utensílios evita vícios de postura que podem prejudicar a saúde física, seja por posturas necessárias à higienização ou mesmo pela eficiência do utensílio designado para essas tarefas.

Quer saber se a sua empresa está utilizando os utensílios adequados à segurança segundo a NR-36? Entre em contato conosco, nossos especialistas realizam um mapeamento técnico e oferecem um diagnóstico gratuito em relação aos EPIs descartáveis e utensílios para limpeza e higienização.

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Ficou interessado ou está com alguma dúvida?

BRASMO

preencha seus dados abaixo