Limpeza em Altura

Limpeza em altura na indústria: desafios e soluções

Limpeza em altura na indústria: desafios e soluções

Foto de homem usando SpaceVac em um salão

Para que a limpeza não gere nenhum retrabalho, o ideal é que o processo sempre inicie pelas áreas mais altas. Dessa forma, evita-se que a sujeira removida caia sobre áreas que já estejam limpas e agiliza o processo durante a higienização. Porém, nas indústrias, além de todo o cuidado durante a limpeza, é necessária atenção redobrada em função das possibilidades de contaminação geradas pelo acúmulo de sujidades. Neste ponto, a limpeza em altura corre o risco de ser adiada ou até mesmo negligenciada.

Neste artigo, além de olharmos para este processo, também trazemos informações importantes sobre as normatizações que regulamentam a limpeza em áreas altas, os cuidados necessários, inclusive os equipamentos de proteção individual (EPIs) requisitados, e as alternativas que as indústrias têm encontrado atualmente no mercado brasileiro. 

 

Tipos de limpeza em altura

Para começar, é importante lembrarmos que existem milhares de indústrias espalhadas pelo mundo e que todas elas, mesmo quando integrantes do mesmo grupo, possuem estruturas individuais e únicas, necessitando de um olhar técnico e atento para as reais necessidades. Tendo isso em vista, pode-se dizer que existem basicamente três modos de limpar essas áreas de difícil alcance: 

  1. Limpeza a seco, com a utilização de panos e trapos;
  2. Limpeza a seco, com a utilização de aspiradores e vácuos industriais;
  3. Limpeza molhada, com a utilização de hidrojatos. 

Todas essas variações podem ou não incluir produtos químicos durante sua execução, além do auxílio de outras ferramentas, como andaimes e plataformas de elevação. Nesses dois últimos casos, a empresa precisa estar atenta também às normas necessárias para a realização do trabalho, que é o que veremos a seguir.

 

NR-35 – Trabalho em Altura

A falta de profissionais qualificados para o Trabalho em Altura, que é a exigência da NR-35, além dos acidentes fatais que podem ser causados pela realização dessas atividades, são barreiras que frequentemente impedem ou adiam a realização do trabalho nos locais mais altos. Em contrapartida, os equipamentos e estruturas que ficam em locais mais altos geralmente são os que sofrem um processo maior de degradação, justamente pela limpeza desses espaços ter baixa frequência ou, até mesmo, ser totalmente negligenciada. 

A NR-35 – ou Norma Regulamentadora – é um instrumento que atua sobre os aspectos da gestão de segurança e saúde do trabalho para todas as atividades desenvolvidas em altura com risco de queda. Ela parte do princípio que a exposição do trabalhador ao risco deve ser evitada ao máximo, “quer seja pela execução do trabalho de outra forma, por medidas que eliminem o risco de queda ou mesmo por medidas que minimizem as suas consequências”, segundo texto do Governo Federal.

Para fins de definição, a NR-35 considera trabalho em altura toda e qualquer atividade realizada acima de dois metros do chão – por isso, os contratos com empresas prestadoras de serviços geralmente contemplam esse critério nas negociações. Para que o trabalhador esteja apto, deve participar de treinamento periódico a cada dois anos com carga horária total de oito horas. Esse é um requisito para todos os trabalhadores envolvidos nessa tarefa, que vai desde o planejamento até a organização e a execução. Para os empregadores, o texto da norma prevê uma lista com 11 responsabilidades, além dos custos com os treinamentos, equipamentos e as horas de produção parada que geralmente são necessárias durante esses procedimentos. 

 

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)

Além dos equipamentos indicados pela NR-35 quando se trata de sistemas de ancoragem, plataformas e outros semelhantes, o trabalhador que vai realizar a limpeza precisa estar equipado com outros utensílios. Os itens mais comuns durante o processo são:

  • Óculos ou máscara de proteção facial (face shield)
  • Máscara respiratória
  • Luvas de proteção impermeáveis
  • Avental impermeável
  • Botas impermeáveis

A gestão da limpeza em altura prevê uma organização orçamentária para sua execução, que inclui o fornecimento e a atualização dos EPIs. Mesmo nas instalações industriais que contam com equipes terceirizadas, na maioria dos casos a limpeza em altura acaba sendo esquecida ou frequentemente adiada. Os fatores que implicam nisso são variados, mas os mais comuns são a falta de prioridade na ação, falta de equipes/profissionais qualificados conforme a NR-35 e até mesmo falta de planejamento orçamentário. 

 

Novas soluções para limpeza em altura

Inúmeros fatores implicam na hora de encontrar a solução adequada para o processo de limpeza nas áreas mais altas da planta. Os horários de funcionamento, a necessidade de parar a linha de produção, tipos de instalação, tipos de equipamentos, recursos (de pessoal e financeiros) disponíveis e por aí vai…

O mais importante na hora de considerar as soluções é ponderar:

  1. O impacto gerado na linha de produção para realizar tal atividade: poderá ser feita em um horário à parte? Se não, os custos de horas paradas precisam ser considerados.
  2. A frequência necessária para essa atividade: em uma indústria que atua com muito material em pó, como são os casos de moinhos, cafés, chocolates e celulose, por exemplo, a frequência será bastante alta e, dependendo da solução, o investimento também.
  3. A equipe disponível para realização do trabalho: o empregador deve se perguntar se vale a pena a terceirização desta mão de obra, se o time consegue absorver todos os requisitos elencados na NR-35 e, ainda, se será necessário contratar novas pessoas para formarem o time desta função.
  4. A eficácia dos investimentos: independentemente de uma equipe interna ou terceirizada ser responsável por essa etapa da limpeza, a pergunta que deve ser respondida com segurança é: “Caso a minha empresa passe por uma auditoria surpresa, este critério será atendido ou prejudicará a avaliação?”.

Para solucionar essas e outras dores, a solução mais indicada por especialistas em limpeza profissional industrial é a utilização de vácuos com alcance em altura. Aqui na Brasmo, somos parceiros exclusivos no Brasil da SpaceVac International, empresa da Inglaterra que fornece vácuos profissionais com até 16 metros de alcance a partir do chão. 

Com essa solução, é possível que um único trabalhador execute a limpeza de espaços altos com autonomia e agilidade. Os cabos que compõem o kit são feitos de fibra de carbono, garantindo leveza e durabilidade altíssima. Ao acoplar todos eles, atingindo a altura máxima recomendada, o peso na mão do colaborador é de 2,5Kg! 

Além disso, há autonomia no transporte e no armazenamento, visto que o equipamento vem com um carrinho com rodas acopladas e espaços para os acessórios – que são vários! Fora os cabos de fibra de carbono, o kit padrão fornece quatro diferentes tipos de ponteiras para garantir que tubulações e outros espaços possam ser higienizados com tranquilidade e segurança. Eu sei… você deve estar pensando que é muito perfeito para ser real, mas eu ainda não terminei de contar todas as soluções! 

A SpaceVac tem fornecido, além da solução para áreas altas, equipamentos certificados ATEX e para utilização em áreas com descarga elétrica, aumentando a segurança do colaborador em operação. Soma-se a isso, ainda, as diversas opções de ponteiras, desde as mais delicadas até as que abarcam espaços maiores, e um sistema exclusivo de câmera e monitor para acompanhamento da eficiência da limpeza em tempo real. E sabemos que, por mais que a terceirização possa ser uma ótima solução para situações pontuais, na indústria de alimentos a higiene não é uma pontualidade – ela é uma necessidade cotidiana, que tem impacto na qualidade, nas certificações buscadas e mantidas, na imagem da marca e na satisfação dos colaboradores.

Colocando tudo na ponta da caneta, vale a pena planejar a autonomia da sua equipe de limpeza profissional, né? A Brasmo fornece todas as peças de reposição, assistência e treinamento certificado para utilização do SpaceVac, além de um projeto técnico voltado a todos os pontos da limpeza da sua indústria. Nossos especialistas vão presencialmente até a planta, mapeiam todo o processo e indicam as oportunidades de melhorias identificadas, gratuitamente. Caso você tenha se interessado ou queira saber mais, clique aqui e fale com um especialista! Vamos adorar lhe ajudar. 

Espero que o conteúdo tenha sido útil e que possamos contribuir para a evolução da sua indústria. E se este artigo fizer sentido para sua rede de contatos, por favor, compartilhe 🙂

Obrigado e até a próxima!

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Ficou interessado ou está com alguma dúvida?

BRASMO

preencha seus dados abaixo